search
top

Violência Chega ao Auge

Senhora presidente, senhores senadores, deputados, governadores, prefeitos, vereadores, ministros, secretários, defensores dos Direitos Humanos, padres, pastores, os senhores ainda não tiverem algum familiar sequestrado, morto nas mãos de bandidos, esposa ou filhas estupradas, casas arrombadas, pais idosos maltratados, nada, nada? Sabem, os senhores têm sorte, que Deus os proteja e a seus familiares e amigos.

Já pararam um pouco para pensar na responsabilidade de cada um com o que está acontecendo em nosso país e, muito em especial, na cidade de São Paulo? Quando os senhores vão dormir, conseguem? Que sorte! Os senhores não sonham com suas esposas, filhos, maridos, de repente sendo sequestrados, maltratados, assassinados? Que sorte, dormem realmente bem!

Quando seus filhos saem para a noite, os senhores conseguem dormir? Acreditamos que sim, pois normalmente são protegidos por seguranças e nada lhes acontecerá. Que sorte, pelo menos o poder para isso serve: mantê-los protegidos de tudo que está acontecendo!

Sabemos, nós que somos do povo, não temos a mesma sorte, possivelmente porque não pudemos estudar e chegar aos postos que os senhores chegaram, ou porque não tivemos bons padrinhos para levar a esse cargo, ou ainda, porque temos a decência e a noção clara de que esses postos devem ser ocupados por pessoas decentes, honestas, corretas, competentes e não quisemos nos misturar com tudo o que há de mais podre no mundo do poder do Brasil.

Quem vos escreve é alguém, que aqui mesmo no Tatuapé, uma vez, em frente à redação do jornal (fui sequestrado, mas felizmente, por bandidos “bonzinhos” e que na Marginal, em frente ao Carrefour, nos soltou). É verdade que soubemos como tratar com eles, mas já faz algum tempo, quando se fazia “bandidos bonzinhos” e que só queriam o carro, porque hoje, no aprimoramento da profissão, os bandidos estão cada vez mais especialistas em matar. A palavra de ordem é matar, e sabem por quem? Por menores de 18 anos, porque defensores dos Direitos Humanos e a igreja os protegem, afinal são inimputáveis, pois não podem ser responsabilizados pelos seus atos; ainda estão na fase da aprendizagem do crime e, como são estagiários, ainda não são profissionais, logo, não merecem a punição.

Os nossos nobres políticos dizem que não podem alterar a Constituição, isso, porque, não estamos falando em alterar prazo do mandato do presidente, porque se esse fosse o tema, não tenham dúvida de que bastaria o Congresso reunir-se e mudar a Constituição, afinal, isso seria no interesse deles.

Agora que a sociedade está do joelho perante os bandidos, que está absolutamente indefesa, não se pode mudar. O brasileiro é chamado de “macaquinho” de americano, porque imita tudo de ruim que ele faz, mas não pode imitar as coisas boas que é a sua legislação. É verdade que cada Estado tem a sua própria legislação, porém há estados, que além da pena de morte, e não importa a idade, há prisão perpétua e há prisão para crianças de até 9 anos de idade, não importa. Se teve capacidade para cometer o crime, terá de suportar as consequências.

No Brasil, quando se prende o menor, precisa chamar os pais para que o mesmo seja encaminhado à Fundação Casa, que é uma verdadeira escola do crime, não recupera ninguém, torna a criança mais criminosa ainda, é o complemento do estágio das ruas.

Os políticos são tão “safados” e irresponsáveis que dizem: “Não se pode mudar a legislação penal em meio à comoção social”. Isso porque tivemos o caso do rapaz que foi assassinado na frente do portão de seu prédio, sem ter reagido ao assalto, e, agora, esse crime hediondo de São Bernardo do Campo! Até vou às lagrimas neste momento em que escrevo. Como o ser humano pode ser tão cruel, tão insensível?

Qual a pena que esses assassinos podem ter? Pena de morte. Não há outra, não merece mais viver, em sociedade, um animal desse.  Será que os defensores dos Direitos Humanos e os membros da igreja decidiram diferente?

Não à pena de morte, dizem esses defensores da humanidade, mas essa dentista teve a pena de morte, sem direito a julgamento, e sem ter cometido nenhum crime.

O único crime foi formar-se dentista a duras penas, cuidar de sua mãezinha velhinha e uma irmã que merece cuidados especiais.

Agora perguntamos a todos os senhores acima referidos: o que será feito por esta família, quem vai cuidar da senhorinha e quem vai cuidar da moça com necessidades especial? A senhora presidente? Duvido. Os senhores deputados, os senadores? Duvido. Ou será o senhor Alckmin? Duvido. Possivelmente o senhor Lula, afinal, isso lhe daria muitos votos. Esse é bem capaz, faz parte de seu plano político, perpetuar-se no poder.

Senhores, infelizmente, hoje, sou obrigado a concluir que a vida não vale mais nada. Depois de ver triunfar todas essa mediocridade e incompetência, eu me rendo. Não dá mais para lutar. Sem sombra de dúvida somos reféns e não temos quem nos proteja. Estamos sós e só com Deus: só rezando muito; e pedindo ao nosso pai Oxalá, só ele pode nos proteger.

Até os poderes do Supremo Tribunal Federal, os nobres parlamentares querem tirar. Então, que país é este? Já cantava Renato Russo.


 

 

Por: Antonio Basílio Filho
Advogado Criminalista
Ogan Basilio de Xangô
Diretor Jurídico do Superior Órgão de Umbanda do estado de São Paulo.
Face: facebook.com/oganbasiliodexango

 

Deixe uma resposta

top
%d blogueiros gostam disto: